Médicos afirmam que Pinda corre risco de epidemia de febre amarela

869

Para intensificar a vacinação, as equipes da Saúde estarão no sábado (24) na Praça Monsenhor Marcondes, das 8h às 16h, e no domingo (25), das 7h às 13h, próximo ao Mercado Municipal.

Pindamonhangaba está no corredor do vírus da febre amarela. A afirmação foi feita pela médica da Vigilância Epidemiológica de Pindamonhangaba, Dra. Elizabeth Bassi Puebla da Nobrega, durante palestra promovida pela Secretaria de Saúde para médicos e enfermeiros da rede, nesta semana. Ela informou que a cidade está em área de risco, cercada por pontos com presença de matas e alto índice de mosquitos, aumentando as chances de uma epidemia de febre amarela em humanos.

Já foram confirmados casos nas cidades vizinhas, como São Bento do Sapucaí, Santo Antonio do Pinhal e São José dos Campos, mas nessas cidades grande parte da população está aceitando se vacinar.

Aliado ao fato do macaco encontrado morto, na última semana, na trilha das Borboleta (Ribeirão Grande), e que está com suspeita de ter sido contaminado pela doença, é possível que Pindamonhangaba venha a ter casos autóctones de febre amarela nos próximos em dias, a não ser que a população se imunize, de acordo com médicos. O vírus está próximo, por isso Pindamonhangaba corre risco de epidemia.

Até o momento, pouco mais de 30% da população foi vacinada, restando de 90 a 100 mil habitantes que ainda não se preveniram. “É necessário alertar e chamar atenção dos médicos e enfermeiros também, que tem que vacinar. Fale para os seus amigos e alerte as pessoas, precisamos da sua consciência. Vamos fazer mais esforços para conseguir proteger a cidade”, destacou a dra. Elizabeth.

A médica ressalta que tomar a vacina é a única proteção possível diante da gravidade da doença. “O Brasil não possuía casos urbanos desde 1942, sendo apenas casos silvestres, para que não haja novamente uma epidemia é necessário que a população participe e tenha consciência da importância da imunização”, completou.

Sobre uma das principais dúvidas da população, que é a possível reação adversa da vacina, a médica explicou que de 2 a 4% das pessoas possuem sintomas leves e que a reação mais grave é a viscerotrópica, mas apenas acontece de 1 em 1 milhão de vacinados, sendo rara. “Então, nada justifica não tomar a vacina, sendo que há chances de 40 a 50% de óbito se a pessoa pegar a doença”, afirmou.

Desde janeiro, a Prefeitura de Pindamonhangaba vem adotando diversas medidas para vacinar a população, com vários locais, horários diferenciados, ônibus da Saúde, ações em fábricas, até mesmo com equipes casa a casa na área rural. E, mesmo assim, somente 31,96% ou 44.283 pessoas se vacinaram.

Neste fim de semana, a Secretaria Municipal de Saúde manterá a campanha de vacinação contra a febre amarela, dando mais uma oportunidade para aqueles que ainda não se imunizaram. As equipes da Saúde estarão no sábado (24) na Praça Monsenhor Marcondes, das 8h às 16h, e no domingo (25), das 7h às 13h, próximo ao Mercado Municipal.

Durante a semana, as principais unidades de vacinação são o CIAF/Saúde da Mulher e CISAS de Moreira César, que funcionarão até as 17 horas. 

Fonte: Departamento de Comunicação da Prefeitura de Pindamonhangaba