Total Lubrificantes abre as portas da fábrica para a ACIP

132

A Total Lubrificantes recebeu um grupo da Associação Comercial e Industrial de Pindamonhangaba – ACIP para uma visita à planta de Pindamonhangaba, nesta terça-feira, dia 24 de julho. Os diretores ficaram encantados com a importância da empresa, filial da multinacional francesa, que é a quarta maior empresa internacional integrada de petróleo de capital aberto e gás do mundo, com operação em mais de 130 países e cerca de 100 mil colaboradores. A TOTAL Lubrificantes está no Brasil desde 1998 e está presente nos mais diversos segmentos como veículos leves, pesados, montadoras, moto, indústria, agrícola, náutica.

No Brasil, a fábrica de Pinda é a única unidade, além do escritório sediado na Capital. Na empresa o grupo foi recebido pela diretora Mariane Axt e o químico responsável pela empresa, Denilson Barbosa.

Recentemente, foram investidos R$ 8 bilhões de dólares em pesquisa e inovação. A empresa também investe forte na prevenção de acidentes e, em ações de sustentabilidade.  “A forte educação e na cultura de prevenção, nos fez comemorar 1500 dias sem acidentes”, explicou a diretora. Ela salientou ainda o programa chamado “Near miss”, em que o próprio funcionário é responsável por cuidar da segurança, diminuindo assim as chances de acidentes.

O laboratório é um dos mais modernos do Brasil com alta tecnologia para um controle de qualidade que permitem análises preditivas e produtos com 100% de aprovação. A visita foi uma aula sobre lubrificantes.

Segundo a diretora, a empresa está em negociação para instalar um “ROC- Troca de Óleo Rápida”, em Pindamonhangaba. Os ROCs estão espalhados em 40 países, oferecendo produtos de qualidade e alta tecnologia, além de um atendimento com padrão e excelência na troca de óleo.

Para Thiago Derrico, presidente da ACIP, a visita foi muito importante para conhecer o trabalho da empresa. “Queremos parabenizar o trabalho desenvolvido pela Total, em Pinda. Nos sentimos orgulhosos por estar em nossa cidade gerando emprego e renda”, conclui.