Abertura de empresas aumenta no início do ano

Abertura de empresas aumenta no início do ano

Historicamente, o primeiro trimestre do ano tem 12% a mais de buscas por abertura de empresa do que nos outros trimestres do ano. Em 2019, o primeiro trimestre do ano registrou um crescimento de 17,2% frente a 2018

Somente em 2019, o primeiro trimestre do ano registrou um crescimento de 17,2% frente a 2018, no número de novas empresas, de acordo com o levantamento feito pela Boa Vista, com abrangência nacional. O quarto trimestre do ano passado ainda apresentou um avanço maior, de 24,9% e no acumulado do ano, o indicador cresceu 16,7%.

“A maioria dos CNPJs abertos são pelo regime MEI, mas é possível ver uma crescente em todos os ramos e modelo de negócios, o que indica que temos cada vez mais microempreendedores e profissionais liberais assumindo o seu próprio negócio, mostrando mais confiança no momento do mercado”, afirma Guilherme Soares, VP de Growth.

A mesma pesquisa indicou que o setor de Serviços foi o que teve a maior alta e representatividade no número de abertura de empresas, com 61,6%, seguido do Comércio com 29,7%, e da Indústria com 8%.

Na comparação por regiões, o que mais chama atenção é a região Nordeste com um aumento de 18,5%, apenas um pouco maior do que a região de maior pólo de negócios do país, a Sudeste com 18,2%. Norte (17,3%), Centro-Oeste (16,9%) e Sul (12,8%), também apresentaram alta.

A alta demanda em abertura de CNPJ, aumenta também as expectativas para as empresas que oferecem este tipo de serviço. A projeção da Contabilizei, maior escritório de contabilidade e empresa que mais abre CNPJs no país, para a cidade de São Paulo, por exemplo, é um crescimento de mais de 20% na abertura de empresas.

“Estamos lançando uma ação inédita em São Paulo. A partir de janeiro iremos subsidiar todos os custos para abertura de CNPJ para empresas de serviço, inclusive as taxas do governo. Esta ação está totalmente alinhada com o nosso propósito de apoiar o empreendedorismo e simplificar a rotina das empresas”, diz Soares.

No Brasil, são mais de 8.9 milhões de micro e pequenas empresas, quais são responsáveis por 27% do PIB nacional e 52% dos empregos com carteira assinada, 40% e dos salários pagos.”Oferecer uma contabilidade mais econômica, inteligente e sem custo para iniciar a empresa gera impacto positivo direto na economia do país.” finaliza Soares.

Por meio da tecnologia, a empresa já gerou aos seus clientes uma economia em serviços contabéis superior aos R$ 250 milhões.

 

Fonte: Diário do Comércio

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale Conosco