Região cria 2.085 vagas em agosto e 3.273 durante 2019, afirma Caged

Região cria 2.085 vagas em agosto e 3.273 durante 2019, afirma Caged

Saldo acumulado de 3.273 empregos no ano é o melhor resultado para o mesmo período desde 2013 no Vale do Paraíba; serviços foi o setor da economia da região que mais gerou vagas no ano, seguido da construção civil

O Vale

A economia da RMVale gerou 2.085 empregos em agosto, melhor resultado dos últimos cinco anos e sete meses. Em fevereiro de 2014, a região anotou saldo de 2.861 novos postos de trabalho.

Trata-se do segundo mês consecutivo gerando novas vagas no mercado de trabalho depois de dois meses seguidos com cortes. O resultado equilibra o ano: quatro meses de saldo positivo e quatro, com mais demissões.

Depois de agosto, os meses com maior saldo de emprego foram fevereiro (1.363), abril (1.049) e julho (830). Os cortes ocorreram em março (-1.138), janeiro (-663), maio (-147) e junho (-106).

Com isso, o saldo acumulado de janeiro a agosto é de 3.273 empregos, o melhor resultado para o mesmo período desde 2013, quando a região criou 4.466 novos postos de trabalho nos oito meses do ano.

Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, e foram divulgados nesta quarta-feira.

Em 2018, o mês de agosto encerrou com a geração de 997 empregos no Vale, colaborando para o saldo acumulado de 2.415 postos de trabalho entre janeiro e agosto.

Setores

A geração recorde de empregos em agosto deu-se, principalmente, pela recuperação do setor de serviços, que havia cortado vagas durante três meses seguidos.

No oitavo mês do ano, o segmento gerou 1.037 empregos, o que não ocorria desde fevereiro deste ano, quando abriu 1.346 vagas.

O comércio vem em seguida, com 504 empregos, depois a construção civil, com 345 vagas abertas em agosto. A indústria gerou 105 postos de trabalho no mês. A administração pública abriu 111 empregos.

No acumulado do ano, o setor de serviços mantém o maior saldo da região, com 2.320 empregos criados de janeiro a agosto. A construção civil criou 1.456 postos de trabalho e a indústria, 614 vagas. A administração pública foi responsável por 934 postos.

Comércio perdeu 1.748 vagas no ano, também a agropecuária (-122) e mineração (-90).

São José lidera saldo de emprego em agosto; Pinda gera mais no ano

São José dos Campos foi a cidade que mais abriu postos de trabalho no mês de agosto no Vale do Paraíba, com 691 postos de trabalho, maior número desde outubro de 2017, quando abriu 929. Jacareí vem em seguida, com 260 empregos no mês, e Taubaté completa a trinca, com 225.

No acumulado do ano, Pindamonhangaba manteve o primeiro lugar no ranking da região, com 1.010 empregos gerados, seguida de Campos do Jordão (1.003), Campos do Jordão (440), Guaratinguetá (421) e Caçapava (407).

Taubaté registrou saldo de 363 empregos abertos nos oito meses de 2019, com Jacareí criando 138 vagas. Outras cidades com saldo positivo no ano são Tremembé (149), Piquete (142), Cruzeiro (104) e Lorena (74).

Na contramão, as quatro cidades do Litoral Norte mantiveram as últimas colocações do ranking regional do emprego, todas com saldo negativo: Caraguatatuba (-316), Ilhabela (-321), São Sebastião (-476) e Ubatuba (-784).

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale Conosco