RMVale arrecada R$ 6,14 bilhões em um ano, aponta TCE

RMVale arrecada R$ 6,14 bilhões em um ano, aponta TCE
Cinco cidades concentram 65% do total arrecadado pela região, em impostos e repasses governamentais; 21 cidades têm receita per capita menor do que a média do Vale do Paraíba

Xandu Alves @xandualves10 | @xandualves10

Os 39 municípios do Vale do Paraíba arrecadaram R$ 6,14 bilhões em receitas em 2018, segundo levantamento de OVALE com dados do Observatório Fiscal, do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

O volume representou um aumento de 13% frente à receita de 2017, de R$ 5,43 bilhões. Os dados contabilizam receitas municipais e repasses estaduais e federais.

As transferências governamentais lideraram o total de repasses em 2018, com R$ 3,63 bilhões –quase 60% do total. O valor representou aumento de 8,35% ante os R$ 3,35 bilhões de 2017.

Dentro do pacote das transferências, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) fechou 2018 com US$ 2,29 bilhões para o Vale, 9,25% a mais que 2017, com R$ 2,10 bilhões.

Com crescimento de 7,67%, o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) subiu de R$ 869 milhões para R$ 935,6 milhões. Já repasse do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) subiu 4,61%, de R$ 365,3 milhões para R$ 382,2 milhões.

Os impostos municipais, como IPTU e ISSQN, somaram R$ 2,26 bilhões para as cidades em 2018, alta de 20% frente a 2017, que fechou com R$ 1,89 bilhão.

Os dados do Observatório Fiscal do TCE mostram uma concentração de receitas em cinco cidades do Vale, que receberam R$ 3,96 bilhões em 2018, 65% do total repassado para a região.

São José dos Campos lidera o grupo, com R$ 1,89 bilhão, 31% da totalidade dos repasses para o Vale.

Em seguida, aparecem Taubaté (R$ 655,7 milhões/11%), Jacareí (R$ 545,2 milhões/9%), São Sebastião (R$ 460 milhões/7%) e Caraguatatuba (406,8 milhões/6,62%).

A RMVale registrou uma arrecadação per capita, em 2018, de R$ 2.430, em média, levando-se em conta os 2,5 milhões de habitantes.

Nada menos do que 21 cidades (54%) da região têm receita per capita menor do que a média regional. Lorena, Cruzeiro e Potim estavam na pior situação, com arrecadação per capita de R$ 1.611, R$ 1.443 e R$ 1.091, respectivamente.

Taubaté (R$ 2.102), Jacareí (R$ 2.351), Guaratinguetá (R$ 1.861) e Pindamonhangaba (R$ 2.154) também entraram nesse grupo.

São José ficou acima da média do Vale, com R$ 2.656. A campeã foi São Sebastião, com R$ 5,251..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor

OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.

Fonte: O vale

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale Conosco